Home Poesia Prosa Traduções Colaborações Arquivo Contatos

Bem-vindo à homepage de Renato Suttana.


Petrarca

À venda aqui

 

EPIGRAMA DE STALIN


(Osip Mandelstam)

Vivemos todos sob ele, mas a terra não sentimos.
Mais de dez passos adiante, e a nós mesmos não ouvimos.
Mas, quando a gente se junta em conversa, a cada vez,
      do Kremlin cita logo o montanhês.
Seus dedos grossos são como vermes gorduchos, fornidos;
e são pesados martelos seus discursos bem medidos.
Parecem grandes baratas seus bigodes sorridentes,
      E seus botins são limpos, reluzentes.

À sua volta se apinham chefes de pescoço fino
com cujos favores joga, como se fosse um menino.
Alguém mia, outro fareja, um choraminga, outro pia;
      Mas ele só é quem os pica e guia.
Como ferraduras, forja leis e decretos em série:
no ventre, na testa, no olho, na sobrancelha os desfere.
Cada morte ele aprecia como a um fruto saboroso
      em seu peito ossetiano, volumoso.

(Tradução de Renato Suttana)